Buscar

Glossário de Hollywood

Atualizado: 3 de Mai de 2018

O mercado americano usa um monte de termos que podem confundir a cabeça de um roteirista. Aqui estão alguns deles.



Conhecer os termos usados por quem compra roteiros é sempre útil. E o mercado americano é o padrão, do qual nossas produtoras replicam muito do léxico utilizado. Para facilitar a vida do roteirista, seguem alguns termos atuais que estão sendo usados em Hollywood, lembrando que a língua é viva e que podem mudar do dia para a noite:


- Feature: É o nosso longa-metragem, feito para o cinema. Tem mais de 80 minutos, mas o mercado toma como aceitável pelo menos 90, o que se traduz em roteiros de no mínimo 90 páginas. O limite é 120, até porque tempo de tela se traduz em custo. Ninguém compra roteiro grande de roteirista iniciante e o mercado tem rechaçado filmes de mais de duas horas. Para filmes BO (baixo orçamento), ou low budget, 90 minutos é o padrão. Vir com um filme indie de duas horas e meia mostra que você não entende nada de mercado e menos ainda de cinema.


- TV Movie: filmes de baixo orçamento feitos para a TV. Geralmente são especiais de natal, projetos que são oriundos de séries e são pensados para a TV aberta, geralmente. São filmes de nicho ou de qualidade "inferior" que não merecem lançamento no cinema. Deles deriva o termo M.O.W. - Movie of the Week, que vem do hábito que a ABC tinha, na década de 1960, de lançar um filme toda quinta à noite. Ainda é um grande filão para roteiristas, especialmente iniciantes. Os roteiros de TV Movie têm cerca de 80 páginas e são vendidos mais barato que roteiros de feature.


- TV Drama: Já entrando na seara da TV, TV Drama são séries em que os capítulos duram 60 minutos (42 minutos mais comerciais), o que se traduz em roteiros de 45-50 páginas. No caso de Premium TV (ver abaixo), pode-se chegar a 60, 62 páginas. NOTA: nunca ofereça um TV Drama com mais de 60 minutos. Game of Thrones pode até fazer episódios de 75 minutos, mas isso não vai rolar com você. Seja realista, megalomania = falta de noção = pouco profissionalismo.


- Premium TV: São as séries com custo de produção elevado e com pinta de cinema, especialmente as que são veiculadas na HBO, na Amazon Prime ou no Netflix. Game of Thrones? Premium TV. O Negócio? Premium TV. Sense 8? Premium TV. Na real, é o sonho de consumo de todo roteirista aficcionado por séries.


- Procedurals: São os procedurais, séries que se baseiam num método repetido em todo episódio. As mais famosas séries procedurais são as policiais (NCIS, Bones, Law And Order) e as médicas (ER, Saint Elsewhere) ou House M.D., que é ao mesmo tempo um procedural policial noir e uma série médica :).


- Serials: São as séries fortemente serializadas, daquelas que não dá para perder episódio: GOT, Breaking Bad, Mad Men e outras. Quase todas as séries Netflix Originals são serials, e o motivo é muito simples: as serials são as que estimulam as maratonas, ou binge watching, como chamam em Hollywood.


- Comedies ou Half-Hour Comedies: São as séries de grade de trinta minutos (22 minutos de conteúdo mais comerciais), as famosas sitcoms (comédias de situação), e basicamente se dividem em multi camera (com claque, muitas câmeras filmando, apenas cenários de estúdio - The Big Bang Theory, Seinfeld) e single camera (mais cinemática, sem claque, gravada com uma câmera só, pode ter cenários externos - Modern Family, Frankie and Grace). Roteiros de sitcom single cam têm 22-32 páginas (sendo por volta de 30 o padrão Netflix) e são no formato Master Scenes. Já roteiros de sitcom multi cam têm formatação específica (espaçamento duplo, ação em maíuscula, pega o modelo no Final Draft que você vê as diferenças) e por isso a razão 1 página = 1 minuto não se aplica, e eles ficam com 52-58 páginas. Leia aqui mais sobre as diferenças entre single cam e multi cam.


- Dramedy: É a mistura de comédia e drama, geralmente criando conteúdos single cam que podem ser em grade de uma hora (Orange Is The New Black) ou de meia hora (Californication). Mas ainda assim, na hora do pitching, você tem que ser claro se vai vender um TV Drama ou uma Half-Hour Comedy, porque isso tem a ver com tempo de tela. Geralmente a sua calibração entre comédia e drama vai respeitar esta escolha: grades de meia hora = mais comédia do que drama; grades de uma hora = mais drama do que comédia.


- Digital / Streaming: Aqui rola uma confusão. Os dois termos podem significar ou uma série pensada para ser digital, e portanto com duração menor (H+, as séries do Youtube Red), o que a gente conhece como webserie, ou então pode se tratar de canal de distribuição. Você pode ter, por exemplo, um TV Drama pensado para Premium TV, mas com distribuição via digital ou streaming.


- 10x10: séries, geralmente digitais, de duração menor. O 10x10 é uma referência, dez episódios de 10 minutos.


- Non Scripted: Tudo o que não tem diálogo escrito: variedades, reality TV, game shows etc.


- Genres: São os nossos gêneros, vamos a eles mais abaixo, em linhas gerais (porque subgêneros são tantos que não cabem num post).


- Action: Filmes de ação - perseguição, lutas e por aí vai. Velozes e Furiosos é o melhor exemplo.


- Adventure: São os filmes de aventura. O que marca um filme de aventura sem dúvida são as locações exóticas. É um filme de ação passado na Amazônia? Então é uma aventura.


- Western: O diferencial do western não é apenas o Velho Oeste. Antes de tudo, western trata de personagens indo até a fronteira do mundo conhecido. Grande Sertão: Veredas é uma série Western, e se fosse transformado num filme também seria um Western. The Revenant, para mim, é um Western. O termo, obviamente, vem dos filmes que falavam sobre a ocupação da fronteira final dos EUA, o meio-oeste.


- Comedy, Drama, Horror, Thriller: Não preciso detalhar muito isso, né? A maioria sabe, de forma intrínseca, o que é um filme de drama, um filme de horror ou terror, um thriller (suspense) e uma comédia. Poderia falar um pouco mais sobre a diferença entre horror e suspense, mas isso fica para outro post.


- Sci Fi / Fantasy: Filmes que tratam de mundos irreais. O sci fi é mais baseado em avanços da ciência, hipoteticamente são mais calçados no desenvolvimento científico. Já a fantasia é mais voltada ao mundo da magia. No geral, são tratadas da mesma forma pelas produtoras porque o público-alvo tende a se sobrepor.


- Indie: São filmes independentes. Mas o termo também te permite de cara direcionar o conteúdo: são filmes de 90 minutos (porque são mais baratos e tempo de tela é igual a custo, por isso são mais curtos), de baixo orçamento, geralmente são dramas ou comédias e são focados no desenvolvimento das personagens, seu mundo interior - Juno, Little Miss Sunshine, Easy Rider.


- Period Piece: Serve para filme ou para TV, para indicar um projeto que foca num determinado período de tempo. Filmes da segunda guerra mundial são Period Pieces.


- Animation: Filmes de animação, de qualquer gênero. Geralmente são family movies, mas Akira, por exemplo, era um Sci Fi Animation. Simpsons é adult animation.


- Family Movie / Film / Show: O nome já diz: projetos leves, feitos para serem consumidos por toda a família - Esqueceram de Mim, Miss Simpatia.


- Musicals: São os musicais. Também têm várias especificidades do gênero, cabe um artigo em separado.


- Faith Based: O novo filão de Hollywood e daqui também, basta ver o sucesso de A Cabana, Nosso Lar, A Paixão de Cristo. É exatamente isso: filmes ou séries baseados na fé, para falar com públicos de religiões específicas ou pessoas espiritualizadas.


- Modifiers: São outras palavras que modificam os gêneros mais comuns e aumentam a compreensão do que se busca. Podem ser target specifics (voltadas à audiência), como Millenial Driven (voltada para os millenials ou geração Y), Afroamerican (voltada à população negra) etc., podem ser relacionadas à estória, como female driven (a protagonista tem que ser mulher e pode ou não tratar de temas femininos), ou ainda pode ser uma mistura dos dois, como os filmes LGTBQ, que geralmente trazem protagonistas LGBTQ e também tratam deste tema na trama.


- Urban Projects: Filmes ou séries voltados à comunidade negra e tendo a cidade grande como cenário.


- Limited Series ou Mini Series: Uma série limitada a uma quantidade específica de episódios porque seu tema se esgota: Band of Brothers é um bom exemplo. São as nossas minisséries.


- YA (Young Adult): Filmes ou séries focados no público 12-18 anos.


- Tentpole Movie: O maior sucesso do ano da produtora/estúdio. Vingadores: Guerra Infinita é o Tentpole Movie da Marvel em 2018.


- All Budgets: Projetos focados na range USD 50-150 milhões. Apesar de traduzir-se literalmente como Todos os Orçamentos, projetos All Budgets são aqueles que não são mais Low Budget (ou seja, não dá pra ser independente, tem que procurar um estúdio) mas também não são ainda os High Budget como Avatar, Titanic etc. É a categoria em que você só entrará depois que já pertencer à nata do roteiro.


- Intermediate Budget: São os filmes que a galera não anda produzindo muito, entre USD 15-50 milhões. Não me pergunte por que esta faixa de orçamento não anda rolando. Acho que os independentes, que não querem saber dos grandes estúdios, não gastam tudo isso porque há uma fórmula aí funcionando para filmes Low Budget e com USD 30 milhões uma Blumhouse faz seis filmes. E eles devem pensar que, se for pra cair em estúdio e suportar a pressão, então que seja pra fazer filme caro de verdade. Mas isso é só um achismo. Provavelmente a resposta é mais simples: o mercado encontrou seu equilíbrio eliminando os filmes Intermediate Budget.


- Low Budget: O nosso famoso BO, o baixo orçamento, filmes entre USD 5-15 milhões.


- Lower Budget / High Production Value: Essa é modinha e o desejo geral dos produtores: filme barato, mas inteligente, de alto valor agregado, que consiga agarrar o público. Geralmente são filmes com um gancho, apenas. Corra! e Um Lugar Silencioso são ótimos exemplos.


- Supernatural: Qualquer projeto de temática sobrenatural, seja horror (Insidious, The Conjuring), comédia (Um Espírito Baixou em Mim), médico (alguém se lembra de A Gifted Man?), thriller (Possuídos, com Denzel Washington) e por aí vai.


- Attachments: Qualquer talento que você conseguir trazer para o seu projeto - um ator famoso, um diretor premiado etc.


- IP (Intellectual Property): Projetos baseados em produtos culturais preexistentes, de domínio público ou não, que facilitam seu reconhecimento por parte do espectador - Razão e Sensibilidade, Bellini e a Esfinge, Crepúsculo, Robinson Crusoé etc. O pessoal geralmente se remete a este tipo de produto como Projects Based on IP.


- High Concept: Este merece um artigo à parte, mas basicamente são projetos cujo conceito, a ideia governante, é facilmente compreendida por todos e que segue uma seqüência de beats de maior familiaridade com o público. Quer exemplos? Filhos da Esperança (um mundo onde crianças não nascem mais há décadas e de repente uma mulher aparece grávida), Her (um nerd se apaixona pela Siri e ela corresponde). O High Concept tem um gancho fácil, rápido de ser compreendido e de ser vendido, e mais fácil ainda de ser pitchiado.


- Commercial: O que vai bem na bilheteria, inclusive aqueles filmes sessão da tarde que você acha bobinho mas sempre assiste. Aliás, estes filmes sessão da tarde, por lá, são conhecidos como popcorn movie ou summer movie.


- Grounded: Filmes de menor escala, poucas personagens - Ex Machina, Cloverfield Lane.


- Contained: Filmes com poucas locações. Às vezes se confunde com grounded, mas não necessariamente. Master and Commander: The Far Side of The World é contained mas não é grounded.


- Prestige: Filmes com personagens ou situações especialmente pensadas para o Oscar - A Lista de Schindler, The Post. São filmes dos quais se espera impacto social.


- Smart/Elevated: É um filme high concept governado por uma ideia governante simples mas que tem um gancho interessante, inovador. Her é um bom exemplo.


- Dark: Sombrio, mas também pode ter pitadas de humor ou algum detalhe que torna o projeto diferente - Stranger Things, Evil Dead.


Este post está sempre em atualização. Aguardo sugestões nos comentários.


Um agradecimento especialíssimo ao pessoal do Stage 32, o LinkedIn dos roteiristas e cineastas, que ofereceu uma live incrível de onde muitos destes conceitos saíram.


Quer saber mais? Não deixe de ler estes posts:

- Livros que todo roteirista deve ler (essencial para iniciantes!);

- Como se tornar um roteirista (para quem quer fazer transição de um hobbie para uma profissão);

- 10 mandamentos do roteirista para ter trampo a vida toda (para quem quer se manter trabalhando na indústria, independente de crises passageiras);

- 10 Dicas para aguçar a criatividade (travou? bloqueio criativo não é desculpa, veja como se livrar desse impasse).

Acompanhe todos os posts do blog aqui.

E, finalmente, encontre aqui material de estudo para sempre se qualificar cada vez mais (exige cadastro).

415 visualizações

© Rafael Peixoto

Sobre
 

Sou um publicitário, roteirista e diretor inquieto, apaixonado por musicais e filmes que gotejem sangue. Gosto de observar as pessoas e capturar suas falas e suas histórias reais. Sou um péssimo piloto de parapente e de ultraleve e um velejador pior ainda, mas toco um violão... Tenho quatro filhos maneiríssemos e uma mulher incrível que me enchem de histórias.

Contato
 

Chega mais, manda suas duvidas, dá um fodeback - aqueles feedbacks que deixam a gente putaço mas que melhoram sempre o que a gente faz -, enfim, manda ver o que você quiser. Prometo responder rapidinho!

  • Facebook Basic Black
  • Black LinkedIn Icon
  • Twitter Basic Black
  • Black Instagram Icon
Seja um Parceiro
 

Quer patrocinar este blog e ver sua marca aqui? Chega mais! Manda um email para rafael@wikishows.com.br

1/2

Wikishows Publicidade, Marketing e Gerenciamento de Projetos de Comunicacão, Culturais e Esportivos LTDA

Av. Rio Branco, 26, SBL, Conjunto 99, CEP 20090-001, Rio de Janeiro (RJ) / CNPJ 13.468.476/0001-01