Buscar

Como Escrever Barato

Atualizado: 30 de Mar de 2018

Saber criar um roteiro que custará pouco para ser produzido pode ser a diferença entre uma carreira como roteirista e um hobby



Muita gente diz que um roteirista não deve pensar em custos. Isso é uma mentira. É muito mais fácil para um roteirista iniciante conseguir vender um script se ele é de baixo orçamento, especialmente se for uma série. Afinal, um roteirista iniciante ainda não provou sua capacidade de entrega. Numa série, onde a quantidade de conteúdo é gigantesca e os prazos são exíguos, é muito mais fácil achar quem coloque R$ 1 milhão na bíblia de um estreante do que quem esteja disposto e entregar R$ 10 milhões no risco.


é muito mais fácil achar quem coloque R$ 1 milhão na bíblia de um estreante do que quem esteja disposto e entregar R$ 10 milhões no risco

Sempre digo que um roteirista completo entende das outras áreas do cinema: produção, edição, fotografia. É importantíssimo juntar o máximo de conhecimento possível. Mas, para aqueles que ainda estão iniciando no ofício e querem ver seu roteiro produzido, listo abaixo minhas dicas para escrever um filme ou série de baixo orçamento:


  1. Escolha o gênero certo. Alguns deles, como o terror e a comédia, são mais propícios a orçamentos reduzidos. Um sci-fi bem escrito pode proporcionar um bom filme com orçamento baixo, mas a chance de ficar trasheira é muito grande. Eu não arrisco.

  2. Use pouquíssimos cenários. Olleana, Carnage, Saw, os exemplos de filmes incríveis com pouquíssimos cenários e baixíssimo custo são muitos, em muitos estilos diferentes.

  3. Evite cenas externas noturnas. Simular noite num ambiente interno com luz controlada é fácil e barato. Já gravar uma externa noturna é caro e infernal. Só use se for essencial para seu roteiro. Mas, na boa? Não use.

  4. Chuva custa dinheiro. Evite.

  5. Roteiros com poucas personagens serão sempre mais baratos, possibilitando inclusive que você consiga direcionar parte da grana para conseguir um puta ator. Foi assim com o Danny Glover em Saw.

  6. Progressão dramática, estrutura sólida e uma puta trama são muito mais importantes do que efeitos especiais ou CGI. E mais baratos, porque só dependem da sua criatividade.

  7. Quanto mais curto, melhor. Tempo de tela é custo. Um filme de uma hora e meia provavelmente será mais barato que um filme de duas horas. O mesmo vale para séries de meia hora frente a séries de uma hora.

  8. Escreva com consciência de produtor. Ao contrário do que dizem, isso não mata a sua criatividade. Pelo contrário, lhe proporciona encontrar soluções inusitadas e se concentrar em contar sua história da forma mais sintética possível.

  9. Se estiver escrevendo para cinema, a regra "show, don't tell" ("mostre em vez de contar") é de ouro. Poupa tempo de tela e dá profundidade à obra. Para TV, ela há que ser realitivizada. Mas isso é assunto para um artigo específico.

  10. Se você é iniciante e é muito jovem, encare com seriedade o fato de que você talvez tenha que produzir seu filme por si mesmo ou com amigos. Para isso, antes mesmo de escrever, levante tudo a que você pode ter acesso de graça ou a baixíssimo custo (locações, figurinos, um parça que é ator famoso e por aí vai) e considere esses elementos na hora de construir seu roteiro.

  11. Evite longos diálogos em cenários externos, a filmagem é cara, demorada e pode ser um pesadelo. Aliás, o melhor é evitar cenários externos.

Pode parecer restritivo? Depende. Eu adoro escrever sonetos, por exemplo. A forma travada do verso me ajuda a buscar soluções originais para o poema. Jornalistas têm sempre restrições de quantos toques seus artigos podem ter e isso nunca impediu ninguém de ganhar um Pulitzer. No audiovisual acontece a mesma coisa. Restrições - de formato, de gênero, de grana - podem ser um empecilho ou uma chance incrível de provar seu valor e sua criatividade.


Quer saber mais? Não deixe de ler estes posts:


- Livros que todo roteirista deve ler (essencial para iniciantes!);

- Como se tornar um roteirista (para quem quer fazer transição de um hobbie para uma profissão);

- 10 mandamentos do roteirista para ter trampo a vida toda (para quem quer se manter trabalhando na indústria, independente de crises passageiras);

- 10 Dicas para aguçar a criatividade (travou? bloqueio criativo não é desculpa, veja como se livrar desse impasse).


Acompanhe todos os posts do blog aqui.


E, finalmente, encontre aqui material de estudo para sempre se qualificar cada vez mais (exige cadastro).

410 visualizações1 comentário

© Rafael Peixoto

Sobre
 

Sou um publicitário, roteirista e diretor inquieto, apaixonado por musicais e filmes que gotejem sangue. Gosto de observar as pessoas e capturar suas falas e suas histórias reais. Sou um péssimo piloto de parapente e de ultraleve e um velejador pior ainda, mas toco um violão... Tenho quatro filhos maneiríssemos e uma mulher incrível que me enchem de histórias.

Contato
 

Chega mais, manda suas duvidas, dá um fodeback - aqueles feedbacks que deixam a gente putaço mas que melhoram sempre o que a gente faz -, enfim, manda ver o que você quiser. Prometo responder rapidinho!

  • Facebook Basic Black
  • Black LinkedIn Icon
  • Twitter Basic Black
  • Black Instagram Icon
Seja um Parceiro
 

Quer patrocinar este blog e ver sua marca aqui? Chega mais! Manda um email para rafael@wikishows.com.br

1/2

Wikishows Publicidade, Marketing e Gerenciamento de Projetos de Comunicacão, Culturais e Esportivos LTDA

Av. Rio Branco, 26, SBL, Conjunto 99, CEP 20090-001, Rio de Janeiro (RJ) / CNPJ 13.468.476/0001-01